You are currently viewing Curso de Filosofia Quântica – Post 1

Curso de Filosofia Quântica – Post 1

Por Que o Mundo Existe? 

Por que o mundo existe, é uma das perguntas mais importantes de todas que merecem alguma reflexão. Quando se pergunta o porquê da existência de algo, a ciência está fora do páreo, ela não tem resposta ao porquê das coisas. A ciência explica muito bem os modos de existir das coisas, os fenômenos da existência dentro da matéria. O porquê pertence à filosofia, que vai lá na raiz, no DNA, no ponto da preexistência que causou a existência de algo. Se algo não existia, ele próprio não pode servir de explicação para o começar a existir num determinado momento, num tempo e espaço zero.  

Se houve um tempo em que o mundo não existia, ele só pode ter começado a existir por uma força, uma inteligência preexistente, uma causação independente, extra, com atributos e potência tais que tivessem os meios de colapsar aquilo que desejasse criar. É essa a questão principal implícita no ato da criação do mundo. Dê você o nome que achar melhor, Deus, o Absoluto, o Supremo, o Inominado, a Presença Divina Eu Sou, tanto faz. Só não faça como os “segredistas” da Honda Bhirne, que dizem “o universo vai lhe dar tudo o que você pedir, desde que você peça e acredite que vai receber”. Você vira o mendigo de Deus, pode até receber o que pediu, mas não tem a plena consciência do elenco de leis que foram acionadas por trás da Lei da Atração. (Mais adiante falaremos sobre tais leis).

Se o universo vai lhe dar tudo o que você pedir, é claro que o universo entende, tem uma consciência que identifica quem e o que você está pedindo. Acredito mesmo que você nunca viu alguém que lhe dissesse com certeza o porquê de o universo ser consciente. Eu disse o porquê e o como ele tem consciência, se você quiser dar uma conferida, vá neste link e veja o nosso livro “O MISTÉRIO” 

Por que não sabem? Porque não existe a ponte entre mente e matéria, sujeito e objeto, software e hardware. O Princípio Fundamental da Filosofia não permite que você faça a ponte. Ou você é materialista (ateu) ou idealista (religioso), não pode ser as duas coisas ao mesmo tempo (ser quântico), mesmo que a mecânica quântica diga que não existe separabilidade de nada, que tudo está interligado por um campo unificado que não admite separação de nada. 

Por que o mundo existe é um exemplo clássico da pergunta sem resposta pela ciência, principalmente agora que ela descobriu que o mundo teve um começo há 14,7 bilhões de anos, conforme datação da propagação das ondas do Big Bang, evento explosivo atribuído ao começo do universo.  

Se o universo sempre existiu, como diz lá no Princípio Fundamental da Filosofia, se você acredita nisso, a ciência está salva, não precisa explicar nada. Se algo existe, é mais lógico acreditar que existiu sempre. É assim que o ateísmo descarta a obrigação de explicar o porquê de o mundo existir. Eles dizem: se você advoga que o mundo foi criado por Deus, você necessariamente tem que explicar quem criou deus, daí a questão se estende “ad infinitum”, você tem que se conformar, parar de especular sobre Deus e a criação do mundo. 

Quem leu “Por que o mundo existe”, um livro de entrevistas de Tim Holt com pessoas consideradas os maiores filósofos, cientistas, doutores e catedráticos de universidades de todo o mundo, sabe muito bem o campo minado que é explicar qualquer coisa. Cada um tem o seu modo de explicar aquilo que entende como verdade. Teve um até que afirmou que o mundo fora criado por um hacker, sem, entretanto, dizer quem criou o hacker. 

Ora, se o Universo existe, deve haver por trás algo que motivou a sua criação. Toda criação nasce de alguma vontade, algum poder que faz surgir aquilo que foi idealizado. No nosso mundo humano é assim, identificamos um propósito dentro da criação e sabemos o que é obra do ser humano, por mais simples que seja a coisa criada. Um prendedor de roupa, um clipe, um pegador de gelo, são coisas simples que se encontrássemos noutro planeta jamais imaginaríamos um acaso criativo da natureza, justamente porque existe um “propósito “, algo que justifique a criação da coisa considerada. 

Por que o mundo existe é um problema científico-filosófico, e é lá no Princípio Fundamental da Filosofia onde mora a raiz da questão. A forma maniqueísta de como os filósofos e cientistas trataram o problema, constitui hoje o principal problema propriamente dito, a ser resolvido, a fim de que a humanidade dê o salto quântico que precisa, pra colocar no lixo, de uma vez por todas, todos os ensinamentos dados até hoje nas universidades de todo o mundo. 

Não tenho a menor dúvida, chegará um tempo em que a mecânica quântica, com sua física avançada, paradigmática, será a grande estrela das pesquisas dos grandes criadores de cultura. Não sei quanto tempo será necessário à humanidade para se desvencilhar da física clássica e assimilar a forma abismal, profunda e belíssima com que se demonstrou a nossa irmandade com todas as existências. A física quântica irá influenciar todas as disciplinas ensinadas no mundo inteiro. Os nomes, posso divisar, serão: medicina quântica, filosofia quântica, biologia quântica, etc. etc., tudo a partir da raiz quântica que determina a existência das coisas. 

Pouquíssimas pessoas no mundo hoje são capazes de divisar o que isso significa: fazermos parte de uma realidade única, de influirmos com “nossos modos de ser” na criação de novas realidades como cocriadores de Deus, dentro do nosso livre-arbítrio, e recebermos em troca aquilo que manifestamos; é suprema sabedoria, cuja genialidade foge da compreensão da massa humana enredada no daltonismo filosófico do materialismo. 

A resposta lógica seria: se existe algo que começou a existir num tempo e espaço zero, este algo não poderia ter criado a si mesmo. A inexistência não pode criar sua própria existência, pois o nada não pode dar origem a alguma coisa, uma vez que tudo tem uma causa. Este tipo de raciocínio aponta para necessidade da existência de uma Causa não causada com poder, inteligência e amor para criar tudo a partir de si mesma. Ainda falaremos muito sobre isso em novas postagens. 

Atenção: Manifeste o desejo de participar do Curso de Filosofia Quântica. Mais adiante, somente os inscritos terão acesso ao conteúdo do curso.

COLABORE COMO PUDER PARA MANTER ESTE SITE FUNCIONANDO

Este post tem 2 comentários

  1. Manoel Belo

    Olá, Su, Estou escrevendo um artigo justamente sobre o outro lado da questão, que é a religião e os prejuízos causados por ela. Gostei muito de você ter dado essa sugestão. aguarde a próxima postagem e comente, diga o que achou. isto é muito importante para quem escreve.
    Um beijo no seu coração.
    Manoel Belo.

  2. Suzete Brainer

    Acredito que este seu curso traz o ineditismo presente nos seus artigos, uma oportunidade única para aqueles, que querem conhecer, compreender, aprofundar nesta dinâmica de questionamentos, que atinge a raiz da filosofia pura. Agora, Belo, eu gostaria que você abordasse de forma mais crítica sobre as prisões, manipulações perversas dos dogmas religiosos tão nocivos quanto o ateísmo do materialismo, este que você sempre aponta, como uma falácia na explicação filosófica sobre o universo. Compartilho da mesma visão de mundo, filosofia Quântica e Taoísta.
    Você sabe, como eu adoro parar e me jogar nesta leitura; nesta beleza profunda e abismal do (seu) raciocínio brilhante nos seus artigos.
    Su.

Deixe um comentário